domingo, 9 de novembro de 2008

ÁLBUM DE RECORDAÇÕES #15: SOFT CELL, «NON-STOP EROTIC CABARET» (1981)


Álbum seminal dos Soft Cell, recebe agora uma reedição remasterizada que, à semelhança de outras, tem como maior mérito a recuperação da memória do feito (mesmo que um pouco adulterada).
A obra-prima do seu compositor Marc Almond é uma exploração destemida pelo bairro vermelho das grandes cidades, com uma colheita de canções dificilmente igualável no bolso: o popular à nascença “Tainted Love”, o mais esotérico “Sex Dwarf” ou a melancolia arrebatadora de “Say Hello, Wave Goodbye”, só para citar os mais sonantes.

O impacto artístico do disco supera muito o círculo synth-pop em que é contextualizado. Sem Non-Stop Erotic Cabaret, teríamos tido depois nomes tão diferentes como os mais atmosféricos Talk Talk ou os pecaminosos Pulp, tal como os conhecêramos? (Sire)

2 comentários:

Victor Afonso disse...

"Tainted Love" foi um verdadeiro hino electro-pop dos eighties. Velhos tempos...

Gonçalo Palma disse...

Não tenha dúvidas, caro VA. Mas ainda hoje "bate".
Apareça sempre!